segunda-feira, 14 de julho de 2008

O ABORTO

O aborto é sempre um crime, pois se trata da eliminação de uma vida. Mais ainda, é um crime covarde e bárbaro, em que o ser aniquilado é completamente indefeso, inocente, não provocou a atual situação nem ofendeu a ninguém, aguarda apenas o carinho de uma mãe disposta a recebê-lo neste mundo de lutas, educá-lo com amor e desvelo. É um ser humano em formação, como todos nós o fomos um dia. Poderá, mais tarde, retribuir esse carinho, quando os futuros pais tiverem que enfrentar as agruras da velhice e doença, quando necessitarem dos braços jovens de um filho ou filha para ampará-los.

O ser em gestação corre o risco de enfrentar assassinos frios e impiedosos, não por parte de estranhos, mas por parte daquela que o gera, e que deveria ser a primeira a defendê-lo. Há exceções, claro, que por serem prescritas em lei, devem ser respeitadas./O aborto deve ser visto e estudado pelo lado espiritual, por ser o mais importante, ou seja, o lado “causal”.

O feto, a criança em formação, recebe um Espírito reencarnante, um Espírito com passado de lutas, com problemas a serem resolvidos, próprios, familiares, ou com relação à sociedade, e com futuro programado de realizações, trabalhos a serem desenvolvidos, no interesse próprio ou relacionado a outros. Problemas a serem solucionados através de sua atuação em nova existência, uma oportunidade, uma dádiva divina.

Quando se trunca um renascimento, cortando-se a gestação, não se está apenas matando o feto, mas destruindo toda uma programação de trabalho, que poderia representar a redenção do próprio reencarnante, de seus pais e de outros, pois os benefícios de uma reencarnação bem direcionada não se restringem ao próprio interessado, mas alcançam também e muitas vezes principalmente os seus familiares.

Há Espíritos com grandes e graves débitos que escolhem uma vida de sacrifícios, nascendo em ambientes adversos, para saírem vitoriosos após as lutas e as lágrimas, com a ajuda de seus pais. Há Espíritos de escol, pertencentes a ordens espirituais elevadas, que juntamente com seus pais podem trazer benefícios a toda a Humanidade.

Passar simplesmente um bisturi sobre tudo isso, jogando para futuro incerto a solução desses magnos problemas, é mostrar mesmo que a raça humana está completamente inconsciente de seus valores espirituais, e que por isso poderá permanecer por longos períodos nas consciências trágicas de sua própria irresponsabilidade.


ABORTO DELITUOSO

Comovemo-nos habitualmente, diante das grandes tragédias que agitam a opinião.

Homicídios que convulsionam a imprensa e mobilizam largas equipes policiais...

Furtos espetaculares que inspiram vastas medidas de vigilância...

Assassínios, conflitos, ludíbrios e assaltos de todo jaez criam a guerra de nervos, em toda a parte; e, para coibir semelhantes fecundações de ignorância e delinqüência, erguem-se cárceres e fundem-se algemas, organiza-se o trabalho forçado e em algumas nações a própria lapidação de infelizes é praticada na rua, sem qualquer laivo de compaixão.

Todavia, um crime existe mais doloroso, pela volúpia de crueldade com que é praticado, no silêncio do santuário doméstico ou no regaço da Natureza...

Crime estarrecedor, porque a vítima não tem voz para suplicar piedade e nem braços robustos com que se confie aos movimentos da reação.

Referimo-nos ao aborto delituoso, em que pais inconscientes determinam a morte dos próprios filhos, asfixiando-lhes a existência, antes que possuam sorrir para a bênção da luz.

Homens da Terra, e, sobretudo vós, corações maternos chamados à exaltação do amor e da vida, abstende-vos de semelhante ação que vos desequilibra a alma e entenebrece o caminho!

Fugi do satânico propósito de sufocar os rebentos do próprio seio, porque os anjos tenros que rechaçais são mensageiros da Providência, assomantes no lar em vosso próprio socorro, e, se não há legislação humana que vos assinale a torpitude do infanticídio, nos recintos familiares ou na sombra da noite, os olhos divinos de Nosso Pai vos contemplam do Céu, chamando-vos, em silêncio, às provas do reajuste, a fim de que se vos expurgue da consciência a falta de indesculpável que perpetrastes.

Emmanuel



O ABORTO E SUAS CONSEQÜÊNCIAS

Segundo pesquisas de órgãos especializados, houve nos Estados Unidos, em 1978, 1 milhão e 100 mil abortos. Tais assassínios devem pesar na consciência de milhões de criaturas, sejam as que se submeteram a esse ato criminoso ou as que o executaram. É claro que muitos consideram o aborto como algo natural e que não devem estar preocupados com esse fato; entretanto, quando deixarem o corpo carnal e ingressarem no mundo espiritual, provavelmente irão defrontar-se com as suas vítimas, que as estarão aguardando, a fim de exigirem justiça para tais crimes. É evidente que se deve excluir os casos em que a vida da mulher esteja em perigo.

As pessoas que não acreditam na sobrevivência da alma, acham ridículo tais afirmações. Mas, apesar da incredulidade, terão que enfrentar a realidade da vida além-túmulo,quer creiam ou não. Assim sendo, muitas sofrerão amargamente por terem impedido tantas reencarnações. Suponhamos que o feto eliminado seja novo corpo de um Espírito que aguardou muito tempo para ter autorização para reencarnar e que, ao obter o prêmio de ingressar na vida terrena, vê-se frustrado. É um impacto terrível, principalmente porque terá que aguardar, nessa situação aflitiva, por um tempo imprevisível, pois ignora quando terá uma nova oportunidade de encontrar uma mulher que o aceite como filho.

Realmente é um drama terrível e que pode causar uma revolta, muitas vezes resultando em obsessões de difícil solução, mesmo porque, sempre há uma pré-aceitação por parte da futura mãe, em acordos estabelecidos durante o sono, ao desligar-se da carne e entrar em contato com a vida espiritual, ocasião em que os mentores da futura mãe e do reencarnante, conseguem tal concordância, tendo em vista que sempre é respeitado o livre-arbítrio das pessoas, com raras exceções de reencarnações compulsórias.

Vemos, portanto, que o aborto não é um simples trabalho material, mas também de implicações espirituais, porquanto nem sempre a eliminação do feto soluciona o problema, pois o Espírito poderá permanecer junto a seus agressores, prejudicando-os de todas as formas, levando-os até a mrote, tal o ódio que poderá votar por esse motivo, caso não os perdoe. Há casos relatados pelos Espíritos, que chegam a esses extremos. Assim sendo, aquilo que seria motivo de avanço espiritual, resulta em agravamento de problemas, exigindo reparações dolorosas no futuro.

Meditemos sobre esse problema crucial da atualidade.

Um comentário:

vidaemcores disse...

Com certeza é um erro grave, mas será que não há perdão?
A meu ver, Deus, com todo seu amor pela humanidade, perdoa essa e outras falhas.
Acredito que poderia gerar aquilo que chamam de karma...