terça-feira, 25 de janeiro de 2011

PERSISTIR NA MISSÃO

Por que às vezes parece tão difícil e até mesmo impossível cumprir com aquilo que nos parece ser parte de nossa missão enquanto encarnados na terra?

Os obstáculos e di sabores aos quais somos submetidos vêm com forma de nos proporcionar a evolução e testar nossa força, perseverança e fé.

Sucumbir mediante as provocações, por menores que sejam, é falhar em parte com aquilo que se tem a cumprir.

Permanecer sereno e firme nos preceitos de fé, amor e caridade incondicional em tais situações é meio eficaz para que se saia delas fortalecido e vitorioso.

Vitória esta que consiste não em méritos terrenos, mas sim em alcançar a primazia de manter-se vibrando em consonância aos guias e mensageiros de luz de nosso PAI; ao invés de descer seu padrão vibratório e ceder às perturbações (físicas, emocionais e espirituais) advindas das :tormentas terrenas.

Para que isto seja possível é necessário contemplarmos tais eventos com os olhos do amor e da caridade, de forma a encontrar o melhor em cada situação e em cada ser e entender que todos os eventos e pessoas que cruzam nossa jornada terrena têm algo a contribuir na edificação de nossa missão.

Negar ou omitir participação na vida daqueles que surgem em nosso caminho, ou simplesmente desistir mediante as barreiras encontradas nas mais diversas esferas de convivência social é abrir mão de parte da missão maior a qual, acima de tudo, todos nos estamos destinados a de tentar pelos meios que dispomos prestar caridade aos nossos irmãos.

Entenda-se caridade não como uma esmola, mas sim como gestos, atitudes e palavras de luz, que tem a capacidade de abrir mentes, caminhos e corações e modificar vidas.

Tal caridade deve ser uma experiência incorporada ao nosso cotidiano. Deve ser tão natural e vital quanto nossa respiração. Deve ser destinada a todos de forma incondicional, independente de qualquer fator ou valor mundano.

Lembremos sempre que fora da caridade não há salvação.
Essa é a máxima da doutrina espírita!

Paula dos Reis Moita

Um comentário:

Annapon disse...

Olá irmã querida!
Excelente e instrutivo texto!
Por vezes necessitamos ouvir palavras desse teor para que a coragem e a fé não esmoreçam em nossas almas!
Grande ano prá voce e prá todos!
Annapon